HGT comemora Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna com resultados positivos de bebês nascidos na maternidade

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define a morte materna como decorrente de problemas ligados à gravidez ou por ela agravados, ocorridos no período da gestação ou até 42 dias após o parto.

28/05/2022 11h02 - Atualizada em 28/05/2022 12h01

Referência em obstetrícia com oferta de serviço em Maternidade para usuárias da região, o Hospital Geral de Tailândia (HGT), localizado no sudeste paraense, vem através do Grupo de Trabalho de Humanização (GTH), salientar a importância do tema e reflexão sobre ele, neste sábado, 28, quando é celebra o Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna.

De acordo com a OMS, no nosso país, ainda é grande o número de mulheres que morrem por problemas ocorridos durante a gravidez, no parto e no pós-parto, principalmente, através de complicações de um aborto. Entre as causas mais frequentes de morte materna estão nas doenças hipertensivas durante a gestação, as hemorragias e infecções puerperais.

Conforme dados registrados no Painel de Monitoramento da Mortalidade Materna, em 2021, o Brasil teve a média de 107 mortes a cada 100 mil nascimentos. Em contrapartida, no HGT, em 2022, tivemos 478 partos com apenas uma morte registrada neste quadrimestre.

De acordo com o diretor Técnico da unidade hospitalar, o médico Ananias Manoel, o principal objetivo da atenção pré-natal e puerperal é a garantia do bem-estar materno e fetal. “Para isso, as equipes de saúde da Atenção Primária devem acolher a mulher desde o início da gravidez, reconhecer, acompanhar e tratar as principais causas de morbimortalidade materna e fetal estando disponíveis quando ocorrerem intercorrências durante a gestação e o puerpério”,

Projeto - Para manter esse cenário positivo no HGT, o Grupo de Trabalho de Humanização (GTH), atuante em ações na unidade hospitalar, vem mantendo o projeto “Laços de Amor” às grávidas. A ação de educação em saúde tem a finalidade de fortalecer os vínculos entre as gestantes e a equipe multiprofissional do HGT, transmitindo mais segurança na assistência a obstetrícia antes, durante e no pós-parto. O projeto conta com a parceria da Secretaria Municipal de Saúde.

De acordo com o enfermeiro do Centro de Parto Normal, Renan Aviz, a visita das gestantes é importante para fortalecer o vínculo com o pré-natal e a maternidade, onde ela vai ter o seu bebê. “Isso é preconizado pela Rede Cegonha. Assim, é importante conhecer a maternidade, semanas antes de ser internada para o parto. Esse projeto tem o intuito de fazer com que a futura mamãe conheça o fluxo e o ambiente hospitalar e a sua equipe”. 

Na ação, as gestantes fazem um tour para conhecer alguns setores do hospital, entre eles, o Centro de Parto Normal (CPN) e a Sala Cirúrgica onde elas podem ter seus filhos, além do posto de Enfermagem e toda a estrutura e o suporte obstétrico além de uma equipe capacitada oferecida pelo HGT.

Mãe de primeira viagem, uma das usuárias acolhida e que passou pelo projeto, Vanessa do Nascimento, de 23 anos, agradeceu as orientações dadas pela equipe antes do seu parto. “Confesso que esse projeto é um aprendizado. Fico mais aliviada. É tudo muito novo. É o meu primeiro filho e quanto mais se aproxima o momento do parto, eu fico nervosa. Mas, depois de participar deste acolhimento com os profissionais do HGT, tirei minhas dúvidas. Estou mais confiante para o procedimento”, contou a moradora de Tailândia.

Estrutura - O HGT tem 51 leitos e mantém uma Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) com nove leitos, sendo seis adultos e três pediátricos. Os usuários que dependem do Sistema Único de Saúde (SUS) têm acesso aos serviços oferecidos pelo HGT por meio da Central de Regulação Municipal e Estadual, e aos de urgência e emergência em livre demanda ou encaminhados pelo Samu, Corpo de Bombeiros Militar e Polícia Rodoviária.

Serviço - O HGT é uma unidade de saúde do Governo do Pará, administrado pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). O hospital fica na avenida Florianópolis, s/n, no bairro Novo. Mais informações pelo fone (91) 3752.3121.

Texto: Pallmer Barros

Por Governo do Pará (SECOM)