Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

Fapespa sedia reunião de monitoramento dos programas do Plano Plurianual 2024-2027

O encontro apresentou e atualizou, entre outros produtos, o uso do Sistema Integrado de Planejamento, enquanto ferramenta estratégica de melhoria contínua dos processos internos da

Por Manuela Oliveira (FCP)
10/05/2024 19h19

Nesta sexta-feira, 10, ocorreu o encontro entre gestores em planejamento do "Primeiro Ciclo de Oficinas Quadrimestrais de Monitoramento", nas áreas de Ciência, Tecnologia e Inovação. A reunião contou com colaboradores da Secretaria de Estado de Administração e Planejamento, Seplad, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica, Sectet, Universidade do Estado do Pará, Uepa, Empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará, Prodepa e Fundação Amazônia de Apoio a Estudos e Pesquisas (Fapespa), local das discussões.

A agenda dos eventos do Monitoramento do Sistema Integrado de Planejamento (Sigplan), organizada pela Seplad, apresentou e atualizou, entre outros produtos, o uso do Sistema, enquanto ferramenta estratégica de melhoria contínua dos processos internos.  

Para a Analista de Planejamento e assessora na diretoria de Planejamento Estratégico da Seplad, Bernadete Almeida, "o foco das oficinas e ações é reposicionar o monitoramento em avaliação como instrumento de gestão". "É importante porque no monitoramento se observa o que foi colocado no Plano Plurianual, o PPA; sobre o planejado, as metas, as estratégias. E considerando que o estado, além do PPA, tem outros instrumentos em construção, a exemplo da adesão à 'Agenda ODS', o 'Pará 2050', que está em construção", destaca.  

"Sendo assim, como o monitoramento das ações programadas vai impactar, tanto na efetividade de cada ação e como o estado se coloca perante a demanda da sociedade? Daí que a gente pode resumir que o monitoramento é forma de acompanhar ações planejadas para a sociedade, que pede um aprimoramento da gestão estadual", reforça Bernadete Almeida. 

Monitoramento - Quanto a Fapespa, o Sistema Integrado de Planejamento (Sigplan) tem servido para monitorar os indicadores das ações dos programas e apresentar à sociedade - setores público e produtivo -, as informações quantitativas e qualitativas que validam o comprometimento e compromisso com o estudo, pesquisa e desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação no estado do Pará.  

A Fapespa apresentou resultados de desempenho parcial de 2024, nos programas Ciência, Tecnologia e Inovação, referentes ao programa de "Bolsa Mantida", que já beneficiou 1.384 bolsistas; sendo 155 bolsas por meio de convênios e 1.229 produtos em acordos diretos com as Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação e Tecnologia (ICT's), das quais a Fapespa tem 992 bolsas de Iniciação Científica (IC), 151 de mestrado e 86 de doutorado.  

“O monitoramento do PPA é uma ferramenta muito importante até para a gente conseguir acompanhar nosso desempenho, como o órgão gestor, no caso a Seplad está vendo a execução orçamentária, financeira, física, entregas que estamos tendo. E essas reuniões são momentos relevantes para alinharmos conceitos, entendimentos, encontrarmos a melhor forma para executarmos as ações do Planejamento Plurianual”, reconhece o diretor Científico da Fapespa, Deyvison Medrado.

As oficinas também são vistas com um novo um espaço para que os entes envolvidos em programas nas áreas de Ciência, Tecnologia e Inovação conversem, troquem ideias, encontrem soluções conjuntas, porque muitas das vezes aparecem problemas similares que um dos órgãos já superou, consegui encontrar um caminho de resolução, uma oportunidade para que se construa mais conhecimento.

“A Fapespa vem se posicionando com um ente fundamental do Sistema Estadual de Ciência Tecnologia e Inovação, porque não basta ser somente agência de fomento estadual, mas também avança no desafio e papel da liderança das ações da Ciência, Tecnologia e Inovação, do entendimento, de comprometimento com as métricas, metas, os planejamentos e as políticas setoriais do estado e isso fica muito claro quando a gente participa e apresenta resultados nessas reuniões de monitoramento do Plano Plurianual, conclui o diretor Medrado.