Comunidade LGBT poderá se inscrever para receber o Cheque Moradia

16/09/2015 17h37

A Companhia de Habitação do Pará (Cohab) iniciou uma nova etapa do processo de emissão do Cheque Moradia, com o objetivo de ampliar o acesso de grupos específicos à política habitacional do Estado. Na última terça-feira (15), a coordenação do programa esteve reunida com representantes da Gerência de Livre Escolha e Opção Sexual (Glos), da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), no auditório do Centro Integrado de Inclusão e Cidadania (CIIC), em Belém, para detalhar os procedimentos necessários à obtenção do benefício e o uso adequado dele. A ideia é estabelecer uma parceria que assegure também às famílias homoafetivas o direito à moradia digna.

O primeiro passo nesse sentido será dado nesta quinta-feira (17), com a abertura do processo de inscrição para emissão do Cheque Moradia a esse segmento. A diretora do Programa Cheque Moradia, Ana Célia Cruz, esclareceu as dúvidas de algumas famílias chamadas a participar da reunião, juntamente com técnicos das áreas social e de engenharia da Cohab. Antes de se inscreverem, na Cohab, as famílias passarão por um processo de triagem na Sejudh.

Segundo Ana Célia, esse atendimento está alinhado à diretriz do governo estadual que busca garantir o direito à cidadania por meio da inclusão de grupos específicos. "Esse atendimento vai ficar atrelado ao projeto coordenado pela Sejudh; à Cohab caberá cadastrar essas famílias e liberar o recurso. A coordenação da Glos tem avançado na busca de outros direitos por meio das políticas setoriais básicas. A expectativa é que 100 famílias homoafetivas sejam beneficiadas pelo programa até o fim do ano", informou.

Para a presidente do Instituto Abraço Adversidade (IAD), Cristina Carmona, com sede em Paraupebas, no sudeste paraense, a possibilidade de acessar o programa habitacional significa a realização de um sonho. "Isso representa muito para os casais homoafetivos e demonstra a preocupação desse governo com a cidadania da comunidade LGBT. Só temos a agradecer por essa iniciativa. Afinal, o sonho da casa própria é comum a todo cidadão, e a comunidade LGBT não foge a essa regra", assinalou.

Para o gerente de Proteção à Livre Orientação Sexual da Sejudh, João Augusto Santos, a iniciativa pode ser resumida em uma só palavra: acesso. "Quando a Cohab e a Secretaria de Justiça estabelecem uma parceria para fazer o acolhimento da comunidade LGBT, o governo está, na verdade, proporcionando o direito à cidadania. O conforto do acolhimento de um lar é algo que todo ser humano precisa. Vivenciamos todo tipo de exclusão, e esse projeto não só vem solidificar a nossa cidadania como ainda vai começar beneficiando as famílias", garantiu.

A entrega do Cheque Moradia às famílias LGBT está programada para outubro deste ano, antecedendo o casamento homossexual coletivo que a Sejudh organizará, marcado para o próximo dia 28 de novembro.

Por Redação - Agência PA (SECOM)