O PARÁ DE VOLTA AO TRABALHO

Ação Cidadania soma mais de 89 mil atendimentos

Programa já esteve em 30 municípios para garantir direitos de cidadania a populações vulneráveis

04/01/2021 13h36 - Atualizada em 07/01/2021 às 18h05

O 'Ação Cidadania' garante serviços gratuitos e essenciais de cidadania, saúde, assistência social, emprego e renda por todo o Pará O governo proporcionou acesso a serviços gratuitos e essenciais de cidadania, saúde, assistência social, emprego e renda, nos municípios do interior do estado e na Região Metropolitana de Belém, com o programa Ação Cidadania, executado pela Fundação ParáPaz. Milhares de famílias paraenses foram beneficiadas sem precisar se deslocar de uma cidade a outra.

As ações abrangem principalmente as regiões de integração do Pará e têm como maiores demandas a emissão de documentos, indispensáveis para o exercício da cidadania com dignidade, e, também, consultas com especialistas, geralmente nas áreas de ginecologia, clínica médica e pediatria, por meio de unidades móveis climatizadas e adaptadas ao atendimento com conforto.


 Marinelza Ferreira, 46 anos, participou da ação nos dias 3 e 4 de novembro, em São Félix do Xingu,  sudeste do Pará, e conseguiu emitir o documento de identidade dos três filhos, após anos de espera.

“De onde eu moro pra cá são 4 horas de viagem de barco. Quando soube que teria aqui, me programei pra não perder, porque era uma grande oportunidade de renovar meus documentos e tirar a identidade dos meus filhos. Pra ver a alegria deles, vale todo esforço”, agradeceu a agricultora.

A iniciativa tem a parceria de diversos órgãos estaduais, com papel fundamental nas ações que, em um só local, possibilitam o acesso à 1ª e 2ª vias de Registro Geral (RG), Registro Civil (certidão de nascimento), certidão de óbito e atendimento jurídico, encaminhamentos para exames, coleta de sangue e cadastro para doação de medula óssea, aferição de pressão arterial, testes rápidos de sífilis, hepatites virais e HIV, com resultado em menos de 20 minutos, entre outros.

META

“Já estivemos em diversas regiões, como a Araguaia, Guamá, Rio Caeté, Baixo Amazonas, Lago de Tucuruí, Rio Capim, Carajás, Marajó, Guajará e Tocantins. Nossa meta é alcançar todas as regiões de integração que não conseguimos em 2020, como a Região Tapajós e Xingu, para atendermos cada vez mais a população paraense que precisa”, ressaltou Sidney Gouvêa, presidente da Fundação ParáPaz.

ParáPaz leva, também, serviços de saúde para milhares de famílias paraenses sem que elas precisem se deslocar de uma cidade a outraEm dois anos de gestão, 30 municípios foram contemplados, 26 dos quais no interior e 4 da Região Metropolitana de Belém. No total, 60 edições do programa foram promovidas, somando 89,9 mil atendimentos e média de 20,5 mil documentos de identidades emitidos, cerca de 5 mil atendimentos de saúde e 6 mil encaminhamentos de gratuidade para 1ª e 2ª vias de certidões de nascimento, casamento e óbito, além de atendimentos jurídicos e orientações judiciais, participação de jovens, crianças e adultos em atividades lúdicas, recreativas e educacionais, por meio do projeto “Espaços Abertos”, da Fundação ParáPaz.

Outro projeto lançado recentemente pela ParáPaz  foi o “Entre Elas”, que garante a vítimas de violência doméstica e familiar atendimento jurídico e psicossocial - com assistente social e psicóloga -, de forma individual e em roda de conversa.

A dona de casa L. T. S. A. agradeceu o acolhimento. “Eu passei por violência psicológica e chorava sozinha em casa, fiquei muito mal. E quando escuto outras mulheres que tenham passado por esse mesmo sofrimento e até mesmo por sofrimentos piores, vejo que não estou sozinha. Conversei com a psicóloga e ela vai me encaminhar pra atendimento no polo e por isso já me sinto bem melhor”, concluiu a moça, de 26 anos, que foi ao local em busca de atendimento médico. O projeto já atendeu 53 mulheres.

Entre os órgãos parceiros nas ações, estão as secretarias estaduais de Assistência, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), de Saúde Pública (Sespa), de Educação (Seduc), além da Defensoria Pública, Prodepa, Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), Hemopa) etc.