Governo do Pará tem forte presença durante programação técnica em Ilhéus, na Bahia

20/07/2019 16h25 - Atualizada em 22/07/2019 10h57
Por Valéria Nascimento (SEDEME)

De Ilhéus (Bahia)

O Pará expõe suas amêndoas de cacau, divulga e comercializa seus produtos derivados de chocolate no Centro de Convenções de Ilhéus, na 11ª edição do Chocolat Bahia - Festival Internacional do Chocolate e Cacau desde a última quinta-feira (18) até o domingo (21).

O Festival tem intensa programação com experiências sensoriais, atividades culturais, exposição de arte, cursos e palestras. E nesse ambiente, o Governo do Pará também tem forte presença na programação.

Na sexta-feira (19), o auditório do evento baiano recebeu as preleções do secretário estadual adjunto de Turismo do Pará (Setur), André Dias; da coordenadora do Núcleo de Planejamento, Articulação Técnica e Institucional, da Setur, Julianna Leite Saraiva; do produtor de cacau no município de Uruará, Helton Gutzeit.

"Nosso foco é a verticalização da cadeia econômica do cacau, o Estado do Pará está aberto ao diálogo para novos investimentos, seja com parceiras com o setor produtivo ou com outros governos de territórios produtores de cacau, neste caso, para lançar a agenda nacional da cacauicultura e buscar encaminhamentos para gargalos a fim de que possamos competir em âmbito nacional com maior força'', enfatizou André Dias.

"Estamos desenvolvendo uma série de produtos, do ponto de vista turístico, para que o turista vá ao Pará, tenha experiência gostosa de turismo gastronômico envolvendo o cacau, a Amazônia, conhecendo as comunidades e como a gente faz o chocolate''.

André Dias disse que o Pará trabalha coletivamente para ter segurança institucional e respostas céleres para quem tiver interesse em vir ao Estado, ''se desenvolver enquanto empresa e contribuir, é claro, com a geração de empregos e renda para a população paraense'', afirmou André Dias.

A coordenadora do Núcleo de Planejamento, Articulação Técnica e Institucional, da Setur, Julianna Saraiva, abordou, entre outros pontos, o reconhecimento pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), da Indicação Geográfica (IG) do Cacau de Tomé-Açu, em janeiro de 2019, a partir do desenvolvimento de Sistemas Agroflorestais (SAFs).

Na prática, a Indicação Geográfica (IG) funciona como um instrumento do desenvolvimento local, utilizado para identificar a origem de um determinado produto ou serviço, quando o local tenha se tornado conhecido, ou quando certa característica ou qualidade desse produto ou serviço se deva à sua origem geográfica.

Julianna chamou a atenção para o uso estratégico de uma IG como vetor de desenvolvimento do turismo enquanto atividade econômica à geração de emprego e renda.

"As rotas gastronômicas apresentam ótimas oportunidades para maior divulgação dos produtos que já possuem origem reconhecida, a exemplo do cacau e a Rota da Imigração Japonesa de Tomé-Açu, ou os que estão pleiteando tal reconhecimento, como é o caso do queijo do Marajó e da Farinha de Bragança'', observou Julianna, que é administradora de formação.

Já Helton Gutizeit falou sobre ''De Cacau Bulk para Cacau Premium: Fazendo a Diferença'', a partir de sua experiência na Fazenda Panorama, na Transamazônica, integrando um painel que abordou o tema do cacau bulk cocoa, o cacau comum se comparado ao cacau fino ou de aroma, no mercado internacional, chamado de fine or flavour cocoa.

A participação da missão do Governo do Pará no evento quer também dar visibilidade ao VI Festival Chocolat Amazônia 2019 e o Flor Pará, que acontecerá de 19 a 22 de setembro, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém.

A realização desse trabalho de articulação e estímulo ao setor produtivo é das secretarias estaduais de Desenvolvimento Agropecuário e Pesca (Sedap), e de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), em parceria com as secretarias de Turismo (Setur), Cultura (Secult); Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama) e Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec).

Confira a lista de festivais para 2019, em Belém:

- Mini Festival de Dia dos Pais, 9, 10 e 11 de agosto, no Espaço São José Liberto – Polo Joalheiro, em Belém;

- VI Festival Chocolat Amazônia 2019 e Flor Pará, de 19 a 22 de setembro, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém;

- Mini Festival do Círio de Nazaré, 4, 5 e 6 de outubro; no Espaço São José Liberto – Polo Joalheiro, em Belém;

- Mini Festival de Natal, 6, 7 e 8; e ainda 13, 14 e 15 de dezembro, no Espaço São José Liberto – Polo Joalheiro, em Belém.

FITA - A capital paraense também receberá a Feira Internacional de Turismo da Amazônia, de 17 a 19 de outubro, no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia.