Fundação Hemopa empossa 25 concursados para atuar na linha de frente do atendimento  

Dos 33 servidores nomeados pelo governador, dois desistiram e seis pediram prorrogação. Empossados trabalharão em Belém e em Castanhal.

15/10/2020 13h18 - Atualizada em 15/10/2020 16h09
Por Anna Cristina Campos (HEMOPA)

Após ser empossada no cargo no Hemopa, a servidora Jucele Cristo aproveitou para fazer o dever de casa com uma doação de sangueNa manhã desta quinta-feira (15), o Governo do Estado, por meio da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa), promoveu a cerimônia de posse de 25 novos servidores para os cargos de assistente social, técnico em Enfermagem e técnico em Patologia Clínica, aprovados no concurso público C-182. 

No total, o governador Helder Barbalho assinou a nomeação de 33 servidores, porém houve 2 desistências e 6 pedidos de prorrogação de posse. Os novos servidores atuarão na linha de frente no campo da assistência nas áreas da hemoterapia e hematologia, e desenvolverão suas habilidades nas unidades do Hemopa em Belém e Castanhal. 

Ao prestigiar a solenidade, o presidente da Fundação, Paulo Bezerra, ressaltou a importância deste reforço na atividade desenvolvida pelo Hemopa junto à sociedade paraense.

“Sabemos das dificuldades que estamos passando este ano com a pandemia, na geração de emprego, na saúde e na economia. Essa oportunidade hoje, de vocês estarem ingressando no Hemopa, gerando a qualidade de vida, com emprego, numa instituição como o Hemopa que prima pela qualidade do serviço e a importância do serviço público junto à sociedade, pra mim é uma grande satisfação em fomentar o mercado de trabalho”, destacou o gestor, que agradeceu ainda o apoio da Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad). Estiveram presentes também no evento as diretoras Técnica e Financeira, Luciana Maradei e Taissa Amador, respectivamente, além de demais assessores e gerentes.

Servidores nomeados para o Hemopa, tomam posse em Belém

Larissa Prado, 26 anos, vai ocupar o cargo de técnico em Patologia Clínica, no Hemocentro Regional de Castanhal, e está com boas expectativas. “Não tem felicidade que possa descrever. Não esperava ser chamada em tão pouco tempo do resultado. Estou ansiosa e esperançosa. Pronta para trabalhar!”, destacou a nova servidora. 

A Fundação Hemopa é a instituição de referência nas áreas da Hematologia e Hemoterapia e tem como missão a garantia da cobertura hemoterápica, hematológica e terapia celular, segurança e responsabilidade socioambiental no estado do Pará, promovendo conhecimento e inovação na área do sangue.

Atualmente, a Fundação está presente em 9 municípios: 4 Hemocentros Regionais de Belém, Castanhal, Marabá e Santarém; e 5 Hemonúcleos em Abaetetuba, Altamira, Capanema, Redenção e Tucuruí. E ainda atende 42 agências transfusionais distribuídas nas regiões do Pará. 

HEMOTUR

Após a assinatura do documento de posse, os concursados fizeram um hemotur pela Fundação para conhecer os setores das áreas Técnica e Administrativa do prédio sede. Pascoal Junior, técnico de Enfermagem, conta que este será o primeiro emprego após a formação profissional e que vai dar o melhor de si para atender a população. 

“Eu conheci melhor o trabalho desenvolvido pelo Hemopa enquanto estudava para o concurso. E fiquei surpreso com a quantidade de serviços prestados, além da transfusão e coleta de sangue. Eu entrei num local onde a gente pode servir a população de várias formas com muito amor e carinho”, destacou. 

Durante a visita técnica, alguns dos novos servidores decidiram vivenciar a verdadeira missão da Fundação Hemopa que é salvar vidas, por meio da doação de sangue. 

"Essa é a primeira vez que estou doando sangue. Espero contribuir de forma positiva com a instituição e fazer o melhor de mim para que este hemocento continue sendo um exemplo de excelência”, destacou a servidora Jucele Cristo, técnica em Enfermagem. 

Wailla Mendes, de 26 anos, tomou posse para o cargo de técnica em Patologia Clínica. Ela conta que já foi estagiária de Biomedicina da fundação. "Estou muito feliz em poder retornar agora para o Hemopa como funcionária pública. Esta é a minha segunda doação. Doar não faz bem apenas para você, mas também para quem precisa muito de sangue para sobreviver".