Pelo quarto mês consecutivo, Pará registra saldo positivo na geração de postos de trabalhos formais

Dados divulgados pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese)

27/05/2021 11h50 - Atualizada em 27/05/2021 13h32

O Pará, pelo quarto mês consecutivo, apresenta saldo positivo na geração de postos de trabalhos formais. E mesmo em um período marcado pela crise econômica relacionada à pandemia do coronavírus, o desempenho do Estado, em relação ao mercado de trabalho, tem sido favorável.

É o que mostra o estudo divulgado na quarta-feira (26), pelo Observatório do Trabalho do Estado do Pará, parceria entre o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster). No primeiro quadrimestre de 2021 foram quase 18 mil vagas de trabalho gerados, quantitativo que ganhou destaque na Região Norte.

Durante esses quatro meses foram registradas 112.982 admissões contra 95.368 desligamentos
gerando saldo positivo de 17.617. No mesmo período do ano passado (Jan-Abr/2020), a situação foi inversa, pois o Estado apresentou perda de empregos formais. Foram feitas naquela oportunidade em todo o Estado, 88.430 admissões, contra 96.001 desligamentos gerando um saldo negativo de 7.571, resultado do grande impacto gerado pela crise sanitária e as interrupções na economia. 

Ainda segundo o Dieese, durante esse período os setores de maior destaque foram os de serviço, com a geração de 8.915 ofertas, seguido pelo comércio, com a geração de 5.799 postos. Luis Alexandre tem 43 anos e foi contratado, no mês de fevereiro, como Agente de Portaria, por uma empresa prestadora de serviços. Para ele, conseguir um trabalho em meio à pandemia fez toda a diferença. "Eu soube da vaga, cadastrei meu currículo e depois de um mês fui chamado. Essa oportunidade tem me dado um bom retorno nesse período difícil, em meio a tanta gente passando dificuldade. Eu sou grato pelo serviço e pelo meu trabalho", conta.

O estudo mostra também que, nos últimos 12 meses (Mai/2020-Abr/2021), o emprego formal no Estado do Pará também apresentou crescimento. Foram feitas no período analisado 321.769 admissões contra 265.157 desligamentos, gerando saldo positivo de 56.612 novas vagas. Com o resultado, o Pará ganha destaque entre os estados da região Norte e alcança a 10ª posição no ranking nacional dos estados com maior geração de empregos do Brasil

O titular da Seaster, Inocêncio Gasparim, confirma o desempenho positivo do Pará e atribui o resultados às ações do governo estadual. "O plano do Governo do Pará tem se desenvolvido com responsabilidade, com um olhar cauteloso, pensado na segurança e assistência à população paraense. A vacinação é o nosso maior objetivo. É através dela que todas as outras atividades são retomadas de forma efetiva; entretanto, enquanto o Estado garante que o plano de vacinação seja cumprido, outras ações emergenciais são propostas. O pacote econômico de R$ 500 milhões para programas de transferência de renda, mantém as atividades básicas, como o consumo de alimentos, a compra de insumos... O que faz com que a economia gire e a demanda por mão de obra aumente. A partir do momento que você investe em atividades econômicas, automaticamente você impulsiona o setor de serviço e o de comércio, garante alimentação, bem-estar, retoma as atividades essenciais e gera emprego e renda, principalmente àqueles segmentos mais afetados pela crise sanitária", destacou. 

 

Por Camila Santos (SEASTER)