Instituto Carlos Gomes retoma aulas práticas em agosto

Primeiro semestre foi conduzido com apoio de plataformas virtuais. Volta às salas de aula ocorrerá com revezamento e adoção de protocolos sanitários

27/07/2021 10h57 - Atualizada em 27/07/2021 11h16

O Instituto Carlos Gomes (ICG), mantido pela Fundação Carlos Gomes (FCG), em Belém, realiza a rematrícula dos alunos do Bacharelado em Música. As aulas devem avançar de forma gradual a partir de agosto com a realização de atividades presenciais. 

Durante o primeiro semestre, as aulas ocorreram de forma digital, com suporte presencial à comunidade discente. Desde o dia 16 de março, o órgão implementou mudanças para oferecer vídeos, palestras, apostilas e outros conteúdos on-line, com opção de retirada do material no local, àqueles que tiveram dificuldade de acesso.

Coordenador de Ensino Superior, Ronaldo Sarmanho informa que os cursos técnico e bacharelado em Música desenvolveram atividades remotas este ano, após a paralisação em 2020, em função da pandemia de Covid-19. “Conseguimos implementar a plataforma Google for Education, fundamental nessa retomada das atividades de ensino da instituição, que foram, neste momento, prioritariamente voltadas às disciplinas teóricas, em função da dificuldade em desenvolver atividades práticas de maneira remota”, disse Ronaldo.

Videoaulas foram produzidas e disponibilizadas na plataforma acadêmica com uma ferramenta customizada pela área de Tecnologia da Informação da instituição, por meio de emulação. A produção ocorreu no estúdio Carlos Gomes, destinado especialmente para auxiliar os docentes na criação do conteúdo remoto. Além disso, o ICG, em parceria com as Universidades do Estado do Pará (Uepa) e Federal do Pará (UFPA), realizou o Congresso Intercampi.

Além do ensino e pesquisa, o pilar da extensão que compõe o tripé da instituição foi garantido por meio das transmissões de entrevistas, concertos didáticos virtuais, entre outros materiais, por meio das mídias sociais oficiais. A Fundação também promoveu o 2º Festival de Bandas do Pará e a 36ª edição do Festival de Música Brasileira.

Para os discentes, o retorno é positivo sobre as atividades considerando os relatórios dos professores e depoimentos dos alunos. Entre eles, Wendel Brandão conta que, no início, passou por dificuldades com o acesso à internet e fazer os trabalhos por meio do celular. “É uma situação complicada e inesperada. Ninguém esperava chegar uma pandemia, ficarmos presos em casa, mas a iniciativa da fundação, de poder fazer as aulas remotas, as aulas online, ajudou bastante a todos os alunos. Inclusive, graças aos professores também, que tiveram essa paciência de poder preparar este material de estudos para todos os alunos e nos ajudar também. Eu achei super incrível, foi maravilhoso, aprendi muitas coisas que eu nunca imaginei que iria aprender, me desenvolvi bastante”, avalia.

O início das aulas do segundo semestre está previsto para 02 de agosto, com adoção de procedimentos de segurança sanitária previstos em decretos governamentais. “Estamos planejando fazer uma retomada gradual das atividades de ensino práticas, em sua maioria voltadas ao ensino dos instrumentos mesmo, adotando protocolos de revezamento entre os naipes da orquestra, ou seja: em alguns dias somente cordas, em outros somente sopros de metais, sopros de madeiras, percussão, para que a gente não aglomere”, afirma o coordenador.

Por Dayane Baía (SECOM)