Grupamento Fluvial (GFlu) apreende carga contrabandeada em Afuá, na ilha do Marajó

Ação integra operação conjunta do Sistema de Segurança Pública no arquipélago

06/09/2021 12h52 - Atualizada em 06/09/2021 21h50

Atuação do Grupamento Fluvial (GFlu), no município de Afuá, no Marajó, apreendeu 642 caixas de cigarro contrabandeadoUma das ações que integram a Operação “Inundata”, deflagrada pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), através do Grupamento Fluvial (GFlu), no município de Afuá, no Marajó, apreendeu 642 caixas de cigarro contrabandeado. A operação tem fortalecido o combate às práticas criminosas na região.

No sábado (4), agentes de segurança pública receberam informações de que uma residência estava sendo utilizada para armazenar carga contrabandeada. Participam da operação integrada equipes da Delegacia de Polícia do Interior, Superintendência Regional do Marajó Ocidental, vinculadas à Delegacia Geral de Polícia, o Comando de Policiamento Regional XII, Companhia Independente de Polícia Fluvial (CIPFLU), Batalhão de Ação com Cães (BAC) e o Grupamento Tático Operacional (GTO), esses últimos geridos por meio da Polícia Militar.

Ao chegar ao local, os agentes realizaram cerco e identificaram a carga com as marcas de cigarro “Silver Elephant” e “Marshall”. À prefeitura local foi solicitada apoio para destinar a carga para armazenamento para posterior procedimentos legais e início das investigações. Ainda no local onde o material foi apreendido, as equipes realizaram diligências com intuito de localizar o proprietário da residência, porém ninguém foi localizado.

A operação, que conta com efetivo de 28 policiais e emprego de 4 embarcações, três delas recentemente entregues pelo Governo do Estado, tem o intuito de fortalecer as ações no município de Afuá e na região fronteiriça com o Estado do Amapá, para coibir crimes, como o de roubos à embarcação e residências e crimes ambientais, explica o diretor do Grupamento Fluvial, Delegado Arthur Braga.

“Diversas ações estão sendo desencadeadas nos rios como abordagem a embarcações, residências ribeirinhas, investigações, todo tipo de apoio aos policiais locais que estão fornecendo bastante informações e nós estamos ajudando no que for possível dentro da estrutura que é disponibilizada e empregada nesse momento na operação Inundata”, destacou.

*Texto de André Macedo (Segup).

Por Governo do Pará (SECOM)