'Nós temos pressa', diz governador sobre a retomada das obras da BR-316

Governo do Pará assinou, neste sábado (18), o contrato de retomada dos serviços junto à nova empresa responsável pelo projeto

18/09/2021 15h57 - Atualizada em 18/09/2021 17h35

Para assegurar a conclusão das obras de requalificação da BR-316, o governador Helder Barbalho assinou, neste sábado (18), contrato de retomada dos serviços junto à nova empresa que ficou em segundo lugar no processo licitatório em 2017. Com a substituição da empreiteira, o Governo do Pará, por meio do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), reafirma o compromisso de término das obras até o final de 2022 a fim de melhorar a mobilidade urbana e o transporte público a fim de beneficiar 2,5 milhões de pessoas da Região Metropolitana de Belém.

“Temos pressa para que essa obra aconteça. A população não tem mais paciência com o trânsito. Que possa ser entregue o mais rápido possível e chegue para dar solução da região metropolitana”, disse o governador durante evento que ocorreu na avenida Ananin, em Ananindeua, ocasião em que foi assinada a Ordem de Serviço para a requalificação da via.

Leia mais
Governo autoriza requalificação da rua Ananin para ligar a BR-316 à Cidade Nova
Governo do Estado garante sinalização viária em Ananindeua

De acordo com Helder Barbalho, nas próximas duas semanas, novas equipes estarão trabalhando em diversos pontos da rodovia BR-316 para dar continuidade às obras de requalificação que visam construir a estrutura necessária para a implantação do BRT Metropolitano.

Para uma plateia de moradores da região e autoridades, ele explicou que a mudança de empresa se deu devido à primeira empresa vencedora não ter cumprido com o calendário contratado”. “Nós, por entendermos a urgência de toda a população em ver a BR requalificação e o BRT em pleno funcionamento, imediatamente agimos para que houvesse a mudança na execução dessa obra. E hoje, estamos com contrato assinado e o prazo de duas semanas para que as obras sejam retomadas e concluídas até o final de 2022”, afirmou. 

As obras iniciaram no dia 15 de janeiro de 2019, momento em que estava licitada pelo governo anterior e com ordem de serviço firmado junto à vencedora do processo. “Chamei o governo japonês [agente financiador] e disse que não me sentia seguro porque a empresa tinha muitos problemas no Brasil. Passado dois anos, as obras não aconteceram no ritmo que havíamos planejado e com vários atrasos. A partir daí, fizemos as notificações necessárias até que hoje estamos substituindo por nova empresa. Apenas cumprimos o que a lei e hoje estamos aqui para iniciar a obra novamente”, detalhou.

A partir de agora, assume as obras um consórcio de empresas, uma brasileira outra estrangeira, que ficou em segundo lugar do processo licitatório internacional de 2017, que deverá se instalar na região nos próximos dias e iniciar a contratação dos trabalhadores. Na ocasião, Helder orientou o representante de uma das empresas que dê prioridade à mão de obra local. “Aproveitem para dar oportunidade para as pessoas daqui, de preferência de Ananindeua e Marituba”, destacou. Os candidatos deverão se cadastrar no SINE, instituição responsável pela seletiva.

O diretor geral do NGTM, engenheiro Eduardo Ribeiro, órgão estadual responsável pelas obras, explicou que algumas etapas terão prioridade, como a conclusão dos terminais de integração, viaduto, túneis e estações de passageiros. “Paralelo à isso, a nova empresa dará continuidade aos serviços de drenagem, nova pavimentação da via, construção de passarelas de pedestres, ciclovias, calçadas, iluminação pública e, por fim, o paisagismo”.

Para o presidente da Assembleia Legislativa do Estado (Alepa), Chicão, o BRT é uma das maiores obras, não só para a Região Metropolitana de Belém, mas também para o Estado. “Se tem hoje um problema para a nossa capital é essa entrada. As vezes a gente passa duas ou três horas de Benevides pra cá por causa desse trecho. Então, o BRT é uma obra estruturante e de fundamental importância para a qualidade de vida das pessoas que moram na região. É uma obra que merece todos os esforços para que a gente possa concluir”, destaca.

O prefeito de Ananindeua, Daniel Santos, ressaltou a parceria com o Governo do Estado em outras inúmeras obras dentro do município, principalmente a requalificação da BR-316, já que cerca de 70% dos serviços são executados no trecho de Ananindeua. “Essa obra muda a realidade da mobilidade urbana no município. Através da nossa parceria, que possamos fazer o melhor por Ananindeua”, disse.

A técnica de enfermagem Joseane Monteiro, de 29 anos, moradora na região, aposta as vão trazer melhorias para a vida da população. “Com esse trânsito turbulento que existe hoje, principalmente em horário de pico, nossa esperança é que a obra vai melhorar a rapidez e o fluxo na BR. Até mesmo para quem vai para o trabalho de bicicleta porque muitos motoristas não respeitam. A gente espera que essa volta dos serviços melhore para todo mundo que usa a BR”, comenta.

Joseane Monteiro As expectativas do camelô Edson Rodrigues, de 38 anos, que trabalha há 10 na rodovia, também são grandes. “Espero que melhore o fluxo, pois já vi muitos acidentes. Acho que o BRT [Metropolitano] vai melhorar principalmente para as pessoas trabalham no centro da cidade. Já vi gente andando e reclamando por causa do engarrafamento. Que as pessoas parem de ser prejudicadas”.

Edson RodriguesPrincipais benefícios das Obras de Requalificação BR-316 e BRT Metropolitano para a RMB:

- Redução de tempo de deslocamentos para os usuários do transporte coletivo na RMB;
- Ampliação da oferta de transporte coletivo por ônibus, com integração operacional e tarifária;
- Priorização do transporte público coletivo e de bicicletas, e consequente redução do transporte individual motorizado;
- Redução da poluição atmosférica, de congestionamentos e de acidentes de trânsito;
- Conforto e agilidade nas operações de embarque/desembarque, em especial a idosos e portadores de necessidades especiais, por meio de instalações físicas apropriadas para essas finalidades;
- Melhor ordenamento do crescimento da RMB por meio da indução do sistema integrado de transporte público. 

Componentes do projeto de infraestrutura:

- Faixas exclusivas para os ônibus;
- Estações de passageiros;
- Calçadas e ciclovias arborizadas;
- Passarelas;
- Terminal Marituba;
- Terminal Ananindeua;
- Viaduto Ananindeua.

Passagens inferiores de acesso aos terminais de integração

- Retornos;
- Edifício do Centro de Controle Operacional;
- Sistema de Controle Operacional.

 

Por Michelle Daniel (NGTM)