Macrodrenagem do Tucunduba avança e Governo trabalha para solucionar alagamentos na área

Em janeiro deste ano, o Governo entregou à população da capital os dois primeiros trechos do projeto de Macrodrenagem da Bacia do Tucunduba

20/09/2021 09h18 - Atualizada em 20/09/2021 10h00

O Governo do Estado segue avançando com as obras de macrodrenagem do canal do Tucunduba, em Belém. Iniciadas na década de 90, as obras no canal se arrastaram durante décadas e hoje estão sendo executadas, garantindo mais infraestrutura urbana e qualidade de vida para cerca de 200 mil pessoas em bairros como Guamá, Terra Firme, Canudos e Marco. 

Em janeiro deste ano, o Governo entregou à população da capital os dois primeiros trechos do projeto de Macrodrenagem da Bacia do Tucunduba, que compreende o perímetro entre a rua São Domingos e a Passagem 2 de Junho, no bairro da Terra Firme. Agora, as frentes de trabalho se concentram no terceiro trecho do canal, que compreende o perímetro entre a Rua Dois de Junho e a Travessa Vileta. Com 57% dos trabalhos executados no local, a obra tem conclusão prevista para o próximo mês de dezembro. Além disso, também estão sendo finalizados os trabalhos de construção da Estação de Tratamento de Esgoto do Riacho Doce, que vai atender os bairros atingidos pelo canal. 

O engenheiro civil Ruy Cabral, titular da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), pasta responsável pela execução do projeto, falou sobre a relevância das obras para os bairros do entorno ao canal. 

“É uma obra que afeta diretamente cerca de 200 mil habitantes e que irá solucionar de maneira definitiva o problema dos alagamentos naquela região. Isso nos dá a tranquilidade de dizer que a obra está sendo bem conduzida e que o nosso cronograma está em dia e que foi antecipada para o final de dezembro de 2021”, anunciou.

 

Obras 

Para solucionar os transtornos causados pelos alagamentos em áreas no entorno do canal, a Sedop realizou, nesta última semana, a remoção de uma ponte localizada na rua Jabatiteua, no terceiro trecho de obras, que compreende o perímetro entre a Rua Dois de Junho até a Travessa Vileta.

De acordo com Gilmar Mota, engenheiro responsável pelo projeto, o trabalho impactará na vazão em outras áreas, geralmente alagadas. 

“Hoje a retirada da ponte da Jabatiteua era o último dos gargalos que nós tínhamos de contenção da água que vinha do bairro do Marco, dentro do canal do Tucunduba. Então, com essa retirada, a gente consegue dar uma vazão da água que estava represada em outros canais, como o da Vileta, União, Leal Martins”, detalhou.

A ponte será substituída por outra mais moderna e estruturada, conforme prevê o projeto de macrodrenagem. A nova instalação possibilitará maior fluidez das águas do canal, cooperando para a redução de alagamentos na área.

Por Matheus Rocha (SEDOP)