Gestores da Ceasa, Emater e Semas visitam área da Usina de Compostagem

27/09/2021 16h32 - Atualizada em 27/09/2021 19h25

O Plano Ambiental das Centrais de Abastecimento do Pará, visando a implantação da Usina de Compostagem da Ceasa-PA, teve reunião de gestores, nesta segunda-feira, 27, com a participação do Presidente da Ceasa, José Scaff Filho, da Presidente da Emater, Lana Santos e do Secretário Adjunto de Administração, Gestão e Tecnologia da Semas, Hugo Suenaga.

Após a apresentação do projeto estrutural por parte da EMATER para SEMAS e CEASA, das plantas técnicas, eles visitaram o local em que será edificada a usina. Hoje, a CEASA é corresponsável pelos resíduos orgânicos e materiais gerados em seu complexo. São, aproximadamente, quatro toneladas de resíduos por dia e boa parte deste material é composto por alimentos que não possuem possibilidade de venda. O objetivo prático da unidade de Compostagem é a transformação do resíduo em adubo e tendo como destinação de parte dessa produção, os produtores rurais que tenham como base a agricultura familiar.

Hugo Suenaga, destacou a parceria efetiva entre as instituições de Governo como Ceasa, Semas e Emater nesta iniciativa, trará benefícios ao meio ambiente, a economia e a sociedade. “Vamos aproveitar os resíduos sólidos produzidos dentro do espaço da Ceasa, gerando transformações de lixo orgânico em adubo, que será destinado aos produtores da agricultura familiar que também são atendidos pela Emater, gerando renda para os chamados ‘carapiras’, os catadores de alimentos descartados e também ao reflorestamento de áreas através do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade, o Ideflor-bio”, ressaltou.

“A relação parceira das instituições de Governo potencializa a realização de ações importantes para a sociedade. O projeto da usina de Compostagem vem ao encontro da proposta que o Governador Helder Barbalho tem defendido diariamente, que é a sustentabilidade, a defesa ao meio ambiente. O que nós hoje encontramos como resíduo sem destino, será transformado em adubo orgânico e irá geraro renda com a mão de obra dos catadores, os chamados ‘carapiras’, é o retorno social, gerando renda e emprego”, observou a Presidente Lana.

 “O Planeta Terra vive um momento delicado e em nossa região Metropolitana a questão dos resíduos sólidos e orgânicos é um problema que não pode ser colocada embaixo do tapete, ações como essa, mostram como cuidar do próprio resíduo é um exemplo que cada um de nós deve levar para nossas vidas, pois assim cuidamos do meio ambiente com responsabilidade e fazemos uma gestão efetivamente verde, cuidando da nossa área de preservação ambiental”, enfatiza Scaff Filho, Presidente das Centrais de Abastecimento do Pará, que é a CEASA com o maior cinturão verde do Brasil, além de estar inserida em uma área de preservação ambiental.

A implantação do processo de Compostagem vem para reforçar a transversalidade. O projeto é elaborado pelos técnicos da EMATER e o financiamento para a obra é da SEMAS. Já a CEASA, entra com a matéria prima para confecção dos adubos.

Por Bernadete Barroso (CEASA)