Jovens fazem capacitação profissional promovida pela Fundação ParáPaz

Os cursos integram o Projeto “Capacita mais Pará”, que oferece oficinas profissionalizantes à população em situação de vulnerabilidade social

29/09/2021 19h54 - Atualizada em 29/09/2021 20h39

Com o mercado de trabalho cada vez mais competitivo, é necessário expandir os conhecimentos e manter-se sempre atualizado. Por esse motivo, o estudante de Pedagogia Pedro Teixeira, 22 anos, foi um dos 60 participantes do curso de qualificação profissional promovido, das 8 às 17 h, pela Fundação ParáPaz nesta quarta-feira (29), na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Belém.

Satisfeito com o conteúdo do curso, Pedro Teixeira disse ser “muito importante para nós, jovens, termos acesso a cursos assim. Com certeza foi uma grande oportunidade pro meu futuro. Me identifiquei com todos os temas porque são áreas que me interessam muito”.Os cursos do 'Capacita Pará' atendem aos públicos feminino e masculino

Os cursos fazem parte do Projeto “Capacita mais Pará”, que oferece oficinas profissionalizantes, de forma itinerante e totalmente gratuita, à população que se encontra em situação de vulnerabilidade social, atendendo aos públicos feminino e masculino a partir de 15 anos de idade.

Conteúdo - Os temas trabalhados pelos profissionais atualmente são os mais variados, como: Ética e Etiqueta no Mercado de Trabalho; Convivência; Oralidade e Discurso; Raciocínio Lógico; Criatividade; Trabalho em Equipe; Liderança; Empreendedorismo; Emprego Conectado; Elaboração de Currículo; Educação Financeira e Comportamento Profissional. Ao final de cada aula, os participantes recebem certificado.Jovens capacitados pelo projeto desenvolvido de forma itinerante pela Fundação ParáPaz

Em três meses de execução, o projeto já atendeu a Região Metropolitana de Belém e passou pelos municípios de Parauapebas, no Sudeste, e Santarém, no Oeste do Pará, beneficiando cerca de 1.200 pessoas, gerando benefícios futuros para toda a sociedade. “Semeamos conhecimento e transformações na vida dos alunos e nas nossas. Há troca de conhecimento. O bom é contribuir, ajudando e estimulando com conhecimentos e formações técnicas”, pontuou a pedagoga Jucileide Seabra, uma das ministrantes das oficinas e técnica da Fundação ParáPaz. Estudante Pedro Teixeira aprovou o curso de capacitação

O diferencial é a abordagem e a metodologia usada em cada aula, já que muitas vezes é o primeiro contato que os alunos têm com cursos de qualificação. É essencial, também, a participação dos alunos, como enfatizou Pedro Teixeira.

“Fizemos um trabalho em equipe, colocando na prática exatamente o que aprendemos na aula teórica. Gostamos muito das professoras porque são atenciosas e abordaram de forma clara os assuntos, nos deixando à vontade pra participar, o que é muito bom. Agora me sinto mais preparado”, garantiu o estudante Pedro Teixeira.

Por Nathalia Mota (PARAPAZ)