Governo do Estado apoiará implantação do curso de medicina em Bragança

15/12/2015 17h29

Na manhã desta terça-feira, 15, uma comissão do Campus Universitário de Bragança da Universidade Federal do Pará (UFPA) esteve presente na Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet) para discutir a proposta de criação do curso de graduação em medicina no município. Na reunião, que contou com a presença do reitor da UFPA, Carlos Maneschy, do presidente da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará (Fapespa), Eduardo Costa, e do prefeito de Bragança, Nelson Magalhães, o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, assinou uma declaração de apoio à iniciativa, afirmando o compromisso de contrapartida do Governo do Estado para o desenvolvimento do curso.  

Entre os itens trazidos pela comissão para discussão, destacam-se a busca do apoio político e institucional do Governo do Estado para elaboração de um convênio entre a Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa) e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) para implantação de rede de fibra óptica, e do apoio para a construção do Centro de Vivência Integrada e Aprendizagem em Saúde, o que viabilizaria a implantação do curso em Bragança.

“A criação do curso de medicina pode provocar resultados imediatos na renda e na qualidade de vida no município, tendo em vista o desenvolvimento de um cenário que propicie a abertura de novas clínicas especializadas para atender as demandas em saúde da população”, afirmou a vice-coordenadora do Campus Universitário de Bragança da UFPA, Janice Cunha.  

Em 2015, Bragança foi selecionada como cidade prioritária para implantação do curso de medicina de acordo com os critérios do Programa Mais Médicos, do Governo Federal. O município recebeu, também, a visita da equipe de avaliação da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres), pertencente ao Ministério da Educação, que indicou a necessidade de abertura de formação de profissionais médicos para o interior do Pará em instituição pública, sinalizando a UFPA e seu Campus de Bragança como sede adequada ao curso de medicina.

“São fatos que só confirmam a legitimidade e a necessidade desse curso, e o Governo do Estado está aberto para diálogo e para a melhor forma de apoiar cada etapa de seu desenvolvimento”, afirmou o secretário Alex Fiúza de Mello. O presidente da Fapespa, Eduardo Costa, parabenizou a iniciativa da comissão e solicitou aos seus membros a elaboração de um plano de trabalho, incluindo planilhas de custos dos laboratórios integrados ao curso. “Além disso, busquem ouvir a população para entender as suas reais necessidades, pois isso facilita a elaboração de futuros editais de apoio por meio da Fapespa, por exemplo”, recomendou Eduardo Costa.

Graduação - Bragança foi umas das cidades selecionadas para aderir a implantação do curso de medicina, através do Programa Mais Médicos, que busca diminuir as carências médicas em áreas prioritárias no Brasil. Após a adesão, o município recebeu no período de 21 a 23 de outubro de 2015, a comissão avaliadora do Ministério da Educação (MEC), que ao final das visitas técnicas, deu parecer favorável a implantação do curso de medicina em Bragança, por possuir os requisitos estabelecidos pelo Ministério da Saúde (MS).

Outros encontros entre a comissão e a Sectet serão agendados para prosseguir com o desenvolvimento do curso, o qual tem previsão de início para 2017. 

Por Redação - Agência PA (SECOM)