Feira Pará Negócios tem debate sobre o cenário da pesquisa científica brasileira

07/11/2015 13h27
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Atualmente, quase tudo o que faz parte do consumo humano, sejam alimento, vestuário, calçados e aparelhos eletrônicos, dentre outros, e resultante de pesquisas em ciência, tecnologia e inovação. Para chamar a atenção da sociedade para este setor importante ao desenvolvimento social e econômico do país e dialogar sobre o cenário da pesquisa científica brasileira, ocorreu na sexta-feira (6) o Seminário Inovação Tecnológica, na programação da Feira Pará Negócios 2015.

A iniciativa da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará (Fapespa), em parceria com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet), proporcionou ao público participante uma tarde de debates sobre o tema, que ganha cada vez mais importância no mundo contemporâneo, com discussões sobre o Projeto de Lei 2.177/ 11, que tem a proposta de instituir o Código Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação.

A nova legislação visa criar uma aproximação entre as instituições de pesquisa e o setor empresarial, assim como facilitar a captação de recursos financeiros para subsidiar projetos de pesquisas, possibilitando o surgimento de ambientes de cooperação em pesquisa e geração de produtos inovadores para acelerar o desenvolvimento do país e por tabela proporcionar o bem estar social.

Segundo o presidente da Fapespa, Eduardo Costa, socialmente a maior contribuição da legislação em tramitação é a geração de oportunidades. “A curto prazo poderemos ter novas alternativas de geração renda e potencialização do setor serviços até maiores oportunidades de fomento à pesquisa. A longo prazo o Código Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação dará meios sólidos aos jovens pesquisadores frutos de uma geração científica e tecnológica, assim como também dará maior qualidade de vida à sociedade com o lançamento de produtos inovadores e de novas alternativas de aproveitamento dos recursos naturais”, resumiu.

A temática foi abordada na palestra “Avanços e perspectivas do Novo Código de Ciência e Tecnologia no Brasil”, ministrada pela procuradora da Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo (Fapesp), Maria Cristina Leftel, que fez uma análise sobre o projeto de lei que institui o Código Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação.

O seminário incluiu uma mesa redonda sobre o assunto com o titular da Sectet, Alex, Fiúza de Mello, o reitor da Universidade Federal do Pará (UFPA), Carlos Maneschy, o reitor da Universidade do Estado do Pará (Uepa), Juarez Quaresma, e a procuradora da Fapesp, Maria Cristina Leftel, com mediação do presidente da Fapespa, Eduardo Costa.

Além dos debates propostos, como parte da programação houve o lançamento oficial do Observatório da Ciência, Tecnologia e Inovação do Pará, ferramenta de articulação e interação entre as instituições de pesquisa, o setor empresarial e o poder público, identificando demandas e oportunidades no setor para o desenvolvimento econômico e socioambiental do Estado.