Fapespa apresenta em evento ferramentas de avaliação socioeconômica

29/09/2015 16h25

Conhecer as especificidades da economia do estado do Pará é primordial não só para os especialistas da área, como também para a sociedade em geral. Nesse sentido, a Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará (Fapespa) lançou nesta terça-feira (29) as Medidas da Atividade Econômica no Estado do Pará. O evento reuniu gestores públicos, empresários e a comunidade acadêmica no Conselho Regional de Economia.

O estudo apresentado pelo coordenador técnico da Fapespa, Sérgio Gomes, é composto pelas Tabelas de Recursos e Usos, a Matriz de Insumo Produto e a Matriz de Contabilidade Social, três instrumentos complementares que oferecem uma análise mais aprofundada das repercussões de processos decisórios por parte das iniciativas pública e privada na economia local, em especial, na geração de emprego, renda e crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

O presidente da Fapespa, Eduardo Costa, explica que este conjunto de ferramentas lançado pela fundação configura a nova lógica do planejamento público no Pará, inclusive com a intensificação de elaboração de editais regionalizados, com o uso de instrumentos adequados para mensurar os impactos na economia do Estado. “Com essas ferramentas, o governo terá como avaliar em que medida as políticas planejadas poderão impactar na economia local a médio, curto e longo prazo, pois são instrumentos de análise que trazem informações específicas sobre a estrutura produtiva do estado do Pará, os fluxos de bens e serviços entre as indústrias e demais setores econômicos, as conexões entre as atividades econômicas e seus efeitos na economia paraense”, disse.

Com esse instrumental a iniciativa privada terá condições de entender melhor a importância de sua atividade na economia, podendo potencializar suas relações com entidades e com o próprio Estado. Além do mais, a comunidade acadêmica terá subsídios para estudar com mais riqueza de informações a economia local e aplicar em suas linhas de pesquisa.

Relatório – Outro trabalho apresentado no evento, pela diretora de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos da Fapespa, Geovana Pires, foi o Relatório sobre a Vulnerabilidade Social no Pará. Com dados do índice de Vulnerabilidade Social (IVS) e do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), o relatório permite uma avaliação sobre a projeção do progresso social nos municípios paraenses. O relatório é apresentado a cada década e é parte integrante de uma cooperação técnica com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), intitulada Rede Ipea, da qual a Fapespa é membro.

Segundo o estudo, o Pará apresentou, em dez anos, uma redução no nível de vulnerabilidade social com destaque para a região sudeste do Pará, que apresentou uma das melhores variações do IVS entre 2000 e 2010 da Região Norte. Os municípios de Belém e Ananindeua foram classificados com alta Prosperidade Social. Na faixa de média Prosperidade Social onze municípios paraenses se destacaram.

O reitor da Universidade do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), Maurílio Monteiro, ressaltou a relevância das duas ferramentas analíticas, pontuando que as universidades devem se apropriar desses estudos a fim de entender com mais profundidade a realidade social e econômica do Pará. “São instrumentos como esses que precisamos para dialogar com a sociedade e fazer uma articulação entre a produção técnico-científica e setores econômicos importantes para transformar o campo socioeconômico do nosso Estado”, reforçou o reitor.

Por Redação - Agência PA (SECOM)