Mangueirão já tem quase 400 pessoas em situação de rua recebendo cuidados

Por determinação do governo do Estado, esse segmento social está sendo cadastrado, alimentado e recebendo atendimento ambulatorial

25/03/2020 20h28 - Atualizada em 26/03/2020 10h30
Por Camila Santos (SEASTER)

Após a determinação do governador Helder Barbalho de abrigar pessoas em situação de rua no Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão, no  último domingo (22), centenas de pessoas já se dirigiram de forma voluntária ao estádio. Aproximadamente 400 pessoas já estão abrigadas e recebendo assistência das equipes das secretarias de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), de Saúde Pública (Sespa) e de Esporte e Lazer (Seel) e Fundação ParáPaz.

As doações, principalmente de alimentos, garantem a alimentação das pessoas abrigadas no MangueirãoAo chegar ao espaço, a pessoa passa por acolhimento e cadastro social, recebe kits de higiene pessoal, roupas e um colchão. São oferecidas quatro refeições diárias: café da manhã, almoço, lanche e jantar. Creuza Costa, técnica da Seaster, que tem atuado no acolhimento e no cadastro social, disse que o formulário identifica quais sãos as necessidades daqueles que chegam. “Através dele identificamos a localidade em que eles se encontram, quais são de outros municípios, se possuem alguma dependência química ou transtorno mental, e a partir daí temos a possibilidade de garantir cuidados e direitos através de uma rede socioassistencial”, informou.

Militares participaram da ação de cidadania realizada pelo EstadoNos atendimentos na área de saúde, os acolhidos passam por um ambulatório disponibilizado pela Sespa. Sonia Braga, que atua no 1º Centro Regional e integra a equipe, ressaltou que, “ao abordarmos o paciente, nós o direcionamos para o espaço de triagem. Lá é possível realizar testes rápidos, curativos e, dependendo da situação, o encaminhamento à unidade de pronto-atendimento. Hoje, atendemos 39 pacientes e realizamos 139 testes rápidos”.As equipes, com luvas e máscaras, trabalham no recebimento das doações e atenção às pessoas que chegam

Solidariedade - No portão B2 do estádio se concentram as doações de roupas, alimentos não perecíveis, materiais de higiene, cobertores e calçados. Aproximadamente 2.500 cestas básicas já foram recebidas. Além dos alimentos, refeições e lanches chegam diariamente.

A proprietária do restaurante Sabor da Nega, Maria Helena Galdino, foi pessoalmente ao estádio entregar 65 refeições. Para ela, é um privilégio poder contribuir. “Quando eu vi o governador Helder Barbalho falando que poderíamos ajudar com alimentos, eu não contei um, dois, três. Mobilizei alguns funcionários e conseguimos produzir e ir entregar. Eu fiquei extremamente feliz e emocionada em ver a população paraense ajudando”, destacou.

O Mangueirão continua como o principal ponto de recebimento de doações. Quem ainda quiser contribuir pode entregar as doações a uma das equipes de recebimento, no portão B2, ou entrar em contato pelo número (91) 3239-1400.