Cidadania também é exercida com fiscalização e preservação de obras públicas

Já em fase final de construção pelo governo do Estado, a Rodovia do Tapanã requer a parceria da população para manter os serviços já realizados

18/09/2020 18h10 - Atualizada em 18/09/2020 19h13
Por Michelle Daniel (NGTM)

Direitos e deveres de um indivíduo são pilares da cidadania. Na prática, as autoridades públicas precisam facilitar ao cidadão o direito de usufruir dos serviços que são direitos da sociedade. Por outro lado, o cidadão tem o dever de zelar pelo que está sendo ofertado. Um desses direitos está sendo garantido pelo Governo do Pará por meio da execução de obras viárias em todas as regiões, possibilitando o deslocamento das pessoas com maior segurança, conforto e rapidez. Entre essas obras está a Rodovia do Tapanã, em Belém, que já entrou em fase final.Rodovia do Tapanã, que entra na fase final de reconstrução, está precisando da parceria da população

“A obra ainda não está concluída, porém muitos serviços que já foram executados estão sofrendo certos prejuízos porque motoristas de veículos pesados, por exemplo, estão estacionando em cima da calçada e quebrando o que já foi feito. Ressaltamos que o governo ainda não entregou a rodovia para a população, mas a previsão é para o final deste mês. Pedimos para que a população seja fiscal, pois a via é um patrimônio da sociedade e precisa ser zelada por ela também”, destaca o engenheiro Eduardo Ribeiro, diretor-geral do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), órgão responsável pela obra.Calçadas e piso tátil estão entre os benefícios aos usuários nas rodovias reconstruídas pelo Estado

Preservação - Além do exemplo citado pelo diretor do Núcleo de Gerenciamento, a cidadania também envolve o respeito que todos - condutores de veículos, ciclistas e pedestres - precisam ter com a sinalização nas vias, que incluem semáforos, faixas de pedestres e ciclofaixas. Outro exercício de cidadania envolve a manutenção da limpeza e preservação dos equipamentos públicos, como passarelas, iluminação pública e placas de sinalização, para que não sejam furtados, danificados ou pichados.

No caso da Rodovia do Tapanã, são 5 quilômetros de via duplicada, com nova rede de drenagem e pavimentação asfáltica totalmente refeita. Em poucas semanas, a rede de iluminação pública, com 279 novas luminárias; remanejamento de postes (192 novos postes); sinalização vertical e horizontal, e calçadas com piso tátil, para facilitar principalmente o deslocamento de pessoas com deficiência visual, serão concluídos, para que a nova rodovia seja entregue à população. O mesmo conceito está sendo implantado na Avenida Padre Bruno Secchi - que era Rua da Yamada, mas cujo nome foi mudado para homenagear o religioso que fundou a República de Emaús. A previsão é que as obras dessa via sejam concluídas em 2021.As faixas de sinalização garantem a segurança dos pedestres

Vias urbanas - A obra é mais uma etapa do Projeto Ação Metrópole, implantado pelo governo do Estado nos anos 2000, que tem como objetivo planejar e executar obras de mobilidade urbana na Região Metropolitana de Belém. Com as obras concluídas, a via será entregue para o município de Belém, que será responsável pela sua gestão e manutenção.

“A Rodovia do Tapanã está dentro do município de Belém, e é um corredor de transporte importante para a capital, pois interliga a Avenida Augusto Montenegro e a Rodovia Arthur Bernardes, além de ajudar a desafogar o tráfego em outras vias. Por isso, a população em geral deve prezar por essa obra executada pelo governo, que busca melhorias na mobilidade urbana da cidade”, enfatiza Eduardo Ribeiro.Pista duplicada melhora o tráfego de veículos e o deslocamento de pessoas