Internas do Centro de Reeducação participam de programação com os filhos

Uma manhã de brincadeiras e distribuição de brinquedos foi promovida pela Seap em parceria com a Igreja Universal

14/10/2020 19h59 - Atualizada em 15/10/2020 00h19
Por Vanessa Van Rooijen (SEAP)

Com o cumprimento das normas de prevenção contra a Covid-19, internas do Centro de Reeducação Feminino (CRF), em Ananindeua (Região Metropolitana de Belém), receberam nesta quarta-feira (14) a visita dos filhos em uma programação alusiva ao Dia das Crianças, que incluiu brincadeiras, lanche e distribuição de brinquedos. O evento, que integra as ações de ressocialização promovidas pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), contou com a parceria da Igreja Universal.

Alana Soares, uma das internas, aproveitou a oportunidade de passar a manhã na companhia da filha, de seis anos, que não via há oito meses por causa da pandemia de Covid-19. “Foi muito especial; vai ficar marcado na nossa história. Fomos pegas de surpresa, e isso fez ser mais especial. Foi maravilhoso acordar e saber que ia poder ver a minha filha. Estou muito feliz e grata”, afirmou.A programação integra o processo de ressocialização das internas promovido pela Seap

De acordo com a diretora do CRF, Érica Santos, a programação “traz a esperança de cumprir o restante da pena para voltar ao convívio com os familiares”. Ela acrescentou que “a importância desse evento foi trazer as crianças que estavam com as visitas paradas, por conta da pandemia, para que as mães pudessem ver seus filhos. Isso vai trazer um retorno muito bom dentro da unidade”.

Ed Wilson Nascimento, da Seap, ressaltou a importância desse tipo de encontro para a reinserção das pessoas privadas de liberdade. “Esse é o processo que chamamos de reintegração familiar. O processo de ressocialização tem que ser pleno. Esse processo vai desde o tratamento de saúde, educação e trabalho, mas o fundamental é o resgate dos vínculos familiares. É na família que a pessoa consolida a visão de integração social. Este momento é fundamental para fazer essa reintegração das internas na sociedade”, reiterou.

O pastor evangélico Franco Custódio ressaltou que “esse momento mostrou o que sempre queríamos ver no sistema prisional: a ressocialização. Esse momento proporciona para as internas um tempo de reflexão. Elas estão aqui dentro, mas têm pessoas importantes esperando por elas lá fora. Isso fica marcado e mostra o valor que cada interna tem, independente do delito que cometeu”.

Na próxima sexta-feira (16), outras custodiadas do CRF receberão visita dos filhos.