Mais de 140 km de novas redes já foram substituídas pela Cosanpa em Belém

As obras já alcançam 78% do total previsto de implantação, que é de 180 km de novas redes em mais de 20 bairros da capital

27/02/2021 13h34 - Atualizada em 27/02/2021 16h28

A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) já implantou 141 Km de novas redes em Belém, o que representa 78% do total previsto, que é de 180 km distribuídos em mais de 20 bairros da capital. No mês de março, o serviço será finalizado no Guamá e será expandido para os bairros da Cidade Velha, Campina e Reduto.

A substituição de redes é uma das etapas do projeto Controle e Redução de Perdas da Companhia, que busca diminuir o desperdício de água, melhorar a qualidade do serviço prestado e garantir a regularidade de abastecimento e pressão da água que chega até a casa dos paraenses.

Segundo Tatiana Costa, engenheira da Cosanpa, a substituição das antigas redes de cimento amianto por Polietileno de Alta Densidade (PEAD) traz inúmeros benefícios. “O novo material é inovador, mais resistente, duradouro, e diminui o índice de vazamentos existentes, o que interfere positivamente na qualidade da água distribuída. Outro ponto essencial é que estas obras evitarão paradas de abastecimento que atinjam uma grande parcela da população”, explica.

Após a implantação da rede e interligação, que promoverá a setorização do abastecimento, quando for necessário retirar um vazamento, por exemplo, não será mais preciso interromper o abastecimento de água em vários bairros. Apenas a área afetada será isolada para o devido reparo.

“A nossa intenção é causar o mínimo de transtornos à população, inclusive, utilizamos o Método Não-destrutivo (MND) para reduzir impactos na mobilidade e nas tarefas diárias das pessoas, e realizamos paradas noturnas de trabalho para suspensão do abastecimento, que é necessária para garantir a segurança dos nossos colaboradores e a execução dos serviços”, afirma a engenheira.

As etapas da obra preveem desde a escavação para implantação da rede; execução das soldas de eletrofusão para conectar os trechos implantados; e as interligações das redes. Após esse processo, é feita a recomposição definitiva dos pontos. Novos ramais e hidrômetros também estão sendo instalados, atualmente, nos bairros de Canudos, São Brás e Fátima.

TECNOLOGIA

A engenheira afirma que essas obras trazem inovações tecnológicas para a Cosanpa, que passará a ter uma área setorizada, contar com equipamentos de medição e controle nas redes de distribuição. Será possível que os técnicos da Companhia acompanhem pela tela do computador onde há vazamentos na cidade e possam atuar antes mesmo do alerta da população.

“Estamos nos estruturando com novas tecnologias para melhorar a prestação de serviço, por isso, pedimos a paciência da população, porque sabemos que, como qualquer reforma, essas obras causam transtornos, ainda que tomemos todos os cuidados para minimizá-los, mas são extremamente necessárias”, reforça Tatiana Costa.

A obra de substituição de redes teve início no segundo semestre de 2019, um investimento de R$ 250 milhões que vai beneficiar mais de 800 mil habitantes da capital. A previsão de conclusão é até o final de 2021.

Por Giovanna Abreu (SECOM)