No Dia da Biblioteca, Seduc enfatiza iniciativas que aproximam estudantes dos espaços de conhecimento

Celebrado nesta sexta-feira (9), a data surgiu em referência à Semana Nacional do Livro, da Biblioteca e Bibliotecário, há 35 anos atrás

09/04/2021 11h14 - Atualizada em 09/04/2021 12h52

Aluno Denilson Alves Moura, da 2ª série do Ensino Médio na Escola Estadual Albanízia de OliveiraNesta sexta-feira, 9 de abril, comemora-se o Dia Nacional da Biblioteca. A data enfatiza a importância desse espaço em que os alunos podem aprofundar os conhecimentos que são repassados em sala de aula, bem como expandir o seu campo de conhecimento. A Secretaria de Estado de Educação (Seduc), por meio do Sistema Estadual de Biblioteca Escolares (Siebe), promove diversas iniciativas que visam incentivar o hábito pela leitura entre os estudantes e que fazem parte da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

De acordo com a coordenadora do Siebe, Silvia Cristina, a importância da biblioteca no âmbito escolar se dá por ser um espaço físico de múltiplos saberes, que geram ações que estão apoiando os espaços pedagógicos. A dirigente ainda ressalta que, atualmente, está sendo feita a formação continuada dos profissionais que atuam nas bibliotecas e nas salas de leitura vinculadas à Seduc.

“A biblioteca escolar se integra com as ações realizadas em sala de aula, como a leitura, escrita, oralidade e pode implementar iniciativas que norteiam a formação do aluno. Estamos instruindo nossos profissionais sobre as diretrizes necessárias, para que eles possam desenvolver ações que incentivem também a leitura virtual”, explicou a coordenadora.

Silvia Cristina, coordenadora do Sistema Estadual de Biblioteca Escolares (Siebe)O Siebe busca atuar de forma intensa nas escolas. No entanto, devido à pandemia, as ações de ida às bibliotecas tiveram que ser paralisadas, para que pudesse ser respeitado os protocolos de saúde. Neste sentido, visando continuar o estímulo à leitura dos estudantes, o Sistema Estadual de Biblioteca Escolares está lançando nas unidades de ensino as bibliotecas virtuais. Até o momento, duas delas estão no ar: uma na Escola Estadual Augusto Meira e outra na Escola Estadual Avertano Rocha.

O diretor da Escola Estadual Albanízia de Oliveira Lima, Jorge Théo Queiroz, conta que a unidade fez uma parceria com o Tribunal Regional do Trabalho da 8ª região (TRT8), com o intuito de que os alunos possam ter mais foco nos estudos, saíam da situação de vulnerabilidade e estejam em contato permanente com a escola.

“Este ano, por conta das aulas não presenciais, eles fizeram um projeto para que os servidores do órgão pudessem doar resmas de papel às escolas estaduais e municipais, para que os alunos que não possuem acesso à internet possam ter os seus cadernos de atividades impressos à disposição. Portanto, eu acredito que essa parceria veio para somar esforços conosco, na garantia de um processo de ensino-aprendizagem adequado aos nossos estudantes, durante a pandemia da Covid-19”, ressalta o gestor.

Jorge Théo Queiroz, diretor da Escola Estadual Albanízia de Oliveira LimaNos últimos tempos, tem se observado que esse incentivo à leitura, promovido pelas escolas estaduais aos estudantes, tem tido cada vez mais êxito, não só em disciplinas de linguagens, como nas demais áreas do conhecimento, como afirma a professora de Língua Portuguesa e Redação, Sueanne Freitas.

“A biblioteca é um espaço fundamental para qualquer escola; primeiro porque temos uma área de conhecimento no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a Redação, que exige um repertório sociocultural desse aluno. Dessa forma, a biblioteca disponibiliza isso para eles, ampliando essa possibilidade de várias leituras, em várias áreas de conhecimento e dando todo o suporte que ele precisa”, explicou a professora.

A professora Sueanne Freitas e o estudante Denilson Moura: “Eu gosto de ler, porque me faz viajar nas asas da palavra"Denilson Alves Moura, aluno da 2ª série do Ensino Médio na Escola Estadual Albanízia de Oliveira, relata que sempre manteve o hábito de ler com frequência. O estudante ainda destacou a importância que a leitura tem em sua vida, o que inclusive já lhe rendeu troféus. “Eu gosto de ler, porque me faz viajar nas asas da palavra. Ao todo, já li 187 livros, sendo que meus favoritos são os de literatura e poesia”, finalizou.

Atualmente, observa-se que, em virtude da informatização, as bibliotecas perderam espaço. No entanto, há quem ainda prefira ficar perto dos livros, sentindo o encanto e a magia de tocá-los. Por outro lado, muitos não têm acesso às obras literárias com facilidade e, assim, a biblioteca escolar dá esse suporte para que os alunos tenham acesso ao conhecimento por meio dos livros.

Texto: Vinícius Leal com colaboração de Rodrigo Moraes (Ascom/Seduc).

Por Lilian Guedes (SEDUC)