Webinar SeloVerde apresenta plataforma para setores privados e sociedade civil

10/05/2021 22h10 - Atualizada em 11/05/2021 12h27

As equipes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará (Semas) participaram, nesta segunda-feira (10), da apresentação de detalhes da plataforma SeloVerde, que disponibiliza de modo transparente os principais critérios socioambientais da produção agropecuária do estado.

Mais de 100 pessoas estiveram presentes no webinar SeloVerde Pará, entre elas representantes de empresas do setor agropecuário, órgãos públicos, sociedade civil e pesquisadores. O evento online apresentado pelo diretor-presidente do Centro de Inteligência Territorial, Felipe Nunes, que apresentou a metodologia usada na criação da plataforma, os resultados e como é feito o acesso, e contou também com a participação do professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Raoni Rajão. 

O secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado do Pará, Mauro O’de Almeida, destacou a importância do SeloVerde. “Desde que chegamos na secretaria, a demanda da rastreabilidade da produção pecuária se fez necessária. Sabemos que o desafio é grande, mas essa plataforma é o melhor começo que podemos ter para melhorar o combate do desmatamento”, reforçou o titular. 

O professor Raoni Rajão explicou que se trabalha em duas esferas: o diagnóstico ambiental de todas as propriedades rurais do Estado do Pará, em parceria com a Semas, onde há um conjunto completo de dados no Cadastro Ambiental Rural. A outra esfera é a rastreabilidade ambiental de produtos, culturas, e atividades econômicas vinculadas à agropecuária.

“A pecuária tem uma cadeia complexa, mas agora com o Cadastro Ambiental Rural temos informações que podem ser cruzadas e chegamos na interseção dessas duas esferas, que é a identificação do diagnóstico ambiental da origem dos produtos agropecuários, e o caminho que eles percorrem, que podem ser rastreados para identificarmos a legalidade e até mesmo as pegadas relacionadas a desmatamento e outras não conformidades em relação aos produtos. produzidos e comercializados no Estado do Pará”, conclui o professor.

Felipe Nunes, do Centro de Inteligência Territorial, considera transformação em política pública a parceria com o Governo do Pará, alinhando o conhecimento científico da Universidade Federal de Minas Gerais, do Centro de Inteligência Territorial e os apoiadores ligados há anos em busca de investimentos, tecnologias e conhecimento, para avanço na agenda ambiental e da sustentabilidade. 

“Diversos pesquisadores estão debruçados sobre os principais avanços e desafios relacionados à rastreabilidade agropecuária e ao balanço ambiental, em uma agenda de detecção de desmatamento, de valoração de ativos e passivos ambientais e mais recentemente à cadeia produtiva dos seus atores na legalidade – e eventuais não conformidades detectadas de forma automática, a partir de modelos computacionais, para auxiliar a tomada de decisão, prestar informações amplas e irrestritas para a sociedade. Usamos a tecnologia para expandir o conhecimento, para acessar o maior número de informações possíveis para que se tome as melhores decisões”, avalia Felipe.

Por Bruna Brabo (SEMAS)