Estado forma frente emergencial após colisão que interditou a Ponte de Outeiro

Uma embarcação já está transportando gratuitamente a população que precisa se deslocar entre o centro de Belém e o distrito de Outeiro

17/01/2022 20h29 - Atualizada em 18/01/2022 12h44

Equipes do Corpo de Bombeiros fazem avaliação dos danos causados em estruturaLogo após o registro da colisão de uma balsa com um dos pilares centrais da ponte Enéas Martins, mais conhecida como Ponte de Outeiro, na manhã desta segunda-feira (17), o governo do Estado criou uma frente emergencial de trabalho, com agentes da Coordenadoria da Defesa Civil Estadual, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon), Polícia Científica, Departamento de Trânsito do Estado (Detran), Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e Secretaria de Estado de Transportes (Setran), para atuar nas investigações das causas do acidente e garantir a travessia da população com segurança entre o distrito de Outeiro e o centro de Belém.

O acesso à ponte foi fechado por viaturas da PM e do Corpo de Bombeiros, a fim de evitar quaisquer riscos à população. De acordo com o tenente-coronel Jacob Macieira, comandante do 26º Grupamento Bombeiro Militar (GBM) de Icoaraci, duas lanchas e um bote foram deslocados para o local da ponte, sobre o Rio Maguari. O comando operacional foi à área iniciar o trabalho de avaliação dos danos causados pelo impacto.O ferry boat está garantindo o transporte gratuito de pessoas e veículos

"Essa parte técnica nós iniciamos logo, justamente para termos um melhor conhecimento dessa ocorrência e assim poder ajudar nas ações, tanto do governo estadual quanto da Prefeitura de Belém. E damos apoio na parte marítima, e nos aliamos à PM para fechar totalmente o acesso à ponte", informou o tenente-coronel.

Mobilidade - Cerca de 50 agentes do Detran atuarão, em regime de escala, na operação ininterrupta de travessia por um ferry boat, com capacidade para 600 pessoas e 75 veículos. A embarcação foi disponibilizada pelo Governo do Pará para fazer viagens gratuitas, conduzindo passageiros e motoristas entre Outeiro e o centro da capital. Cada deslocamento dura em média 30 minutos. O serviço funcionará 24 h até nova determinação.Daniel Barbosa aprovou a rapidez das medidas

O funcionário público Daniel Barbosa Carmo, morador do distrito de Icoaraci, utilizou o ferry boat no final da tarde. Mesmo com algum tempo de espera por causa das filas, ele reconheceu a importância da rápida atuação do governo do Estado para garantir a mobilidade dos moradores.

"Isso significa que o governador está ‘antenado’ às necessidades da população. Gostei bastante dessa rapidez, dessa ação conjunta entre governo e município. Isso é muito importante", afirmou.

Logística - Bento Gouvêa, diretor Técnico-Operacional do Detran, informou que o órgão está fazendo a triagem de pessoas, motos, caminhões e carros menores. A equipe ficou na esquina da Travessa do Cruzeiro organizando o acesso à balsa e aos barcos menores. "O ferry boat vai funcionar 24 h, e nós ficaremos aqui para atender à população que precisa. A Setran está fazendo um reparo na rampa do trapiche, para dar mais segurança ao acesso", explicou.Bento Gouvêa, diretor do Detran

Inicialmente, 12 servidores do Detran atuam em dois pontos, na capital e em Outeiro. "Mas precisaremos estabelecer uma escala, já que o trabalho é ininterrupto. Então, a gente multiplica esses 12 por quatro", acrescentou o diretor. Ainda de acordo com Bento Gouvêa, a Setran deve avaliar nos próximos dias se haverá necessidade de colocar mais uma embarcação para as travessias.

Ainda pela manhã, o titular da Setran, Adler Silveira, supervisionou o início do traslado para Outeiro e vistoriou o trabalho técnico de avaliação da ponte. "Vamos avaliar e agir, para que, o quanto antes, a normalidade retorne. O importante, neste momento, é iniciarmos um trabalho de avaliação do grau do sinistro ao que a ponte do distrito foi submetida, possivelmente a colisão de alguma embarcação de grande porte com o pilar central, deixando a estrutura vulnerável", disse o secretário.Equipes do Detran estão no local organizando o deslocamento de pessoas e veículos

Por Carol Menezes (SECOM)