Iasep realiza ação de prevenção ao câncer de mama

27/10/2017 00h00
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Há seis anos, a professora Auriciléia Freitas, 59, descobriu que tinha um nódulo na mama ao carregar o neto no colo e sentir uma fisgada no seio. Auriciléia procurou atendimento médico e, depois de alguns exames, foi diagnosticada com câncer de mama. “Nesse momento o amor à vida, o apoio da família e a vontade de viver foram essenciais para que eu não me abalasse e continuasse a luta”, relatou. Esse foi um dos relatos feitos durante a semana de ações de combate e prevenção ao câncer de mama, realizado pelo Instituto de Assistência dos Servidores do Pará (Iasep) e encerrada nesta sexta-feira (27).

Segurada do Iasep, Auriciléia realizou diversos tratamentos, durante três anos, até a retirada da mama afetada pela doença. Hoje, curada do câncer, ela afirma que “só tem a agradecer” e mostra a cicatriz da cirurgia como uma marca de sua vitória contra o tumor. Às outras mulheres, Auriciléia faz um alerta para “que se cuidem, façam exames, conversem com o médico sobre a sua saúde, porque a vida é muito importante e precisamos cuidar dela”.

Outro relato emocionante foi feito pela segurada Iraneide Benigno, que compartilhou sua luta para vencer o câncer de mama. Quando foi detectada com a doença, aos 46 anos, a mama já estava comprometida. “Senti o nódulo pequeno, e depois foi crescendo muito rápido, quando percebi e fui procurar o médico, a doença já estava em toda a mama”, relata.

“O mais difícil pra mim, sem dúvida nenhuma, foi o período de quimioterapia, porque altera todo nosso organismo, faz cair os cabelos, modifica o humor. É um tratamento cruel, cheguei a ter momentos de solidão mesmo com a família estando próxima”, disse Iraneide.

Com a gravidade da doença, Iraneide passou pela cirurgia da retirada da mama, e diz que a autoestima foi essencial na sua recuperação. Hoje, ela continua o tratamento com medicamentos e se prepara para a reconstrução mamária. A segurada fez todos os procedimentos pelo Plano Iasep e afirma ser muito grata pelo suporte que recebeu na luta contra o câncer.

A gerente de Assistência Preventiva do Iasep, Katia Andrade, alerta sobre a necessidade da mulher se observar e ir ao médico regularmente. “É essencial que as mulheres acima de 40 anos façam o exame clínico das mamas e também o autoexame, para que em casos de suspeita ou diagnóstico da doença, realizem o tratamento precocemente, aumentando as chances de cura e recuperação”, diz a gerente.

Ainda na semana de ações preventivas, iniciada na terça-feira (24), o Iasep realizou a entrega de folders e laçarotes em alusão ao Outubro Rosa, e promoveu palestra com a assistente social Cláudia Valeria, do Hospital Ophir Loyola, sobre o tema “Prevenção do CA de mama”.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação das células anormais da mama que pode se desenvolver de forma rápida ou lenta. Os sintomas mais comuns do câncer de mama, segundo informações do Inca, são o aparecimento de nódulo fixo e endurecido, geralmente indolor, pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja, alterações no mamilo, pequenos nódulos na região embaixo dos braços ou pescoço, e secreção saindo dos mamilos.

Os folders do Iasep distribuído durante a ação de prevenção alertam para os sintomas e fatores de risco do câncer de mama, reunindo informações do Inca. De acordo com o informativo, mulheres a partir dos 40 anos devem fazer exames regularmente. Entre 50 e 69 anos, a mamografia é necessária a cada dois anos. O informativo também trata do câncer de colo de útero, tumor que se forma na região interior do útero da mulher, causado pela infecção persistente por alguns tipos de papilomavírus Humano (HPV). O material alerta para os fatores de risco para o câncer de colo de útero, como vida sexual precoce, tabagismo e o uso de anticoncepcionais.

“É muito importante nessa atitude que o Iasep teve em fazer essa ação para alertar nós mulheres sobre o câncer. Uma orientação como essa, nos deixa fortalecida e informada ainda mais para que possamos nos cuidar e ajudarmos umas às outras”, avaliou a segurada Maria Narcise Silva, que esteve presente na ação realizada na Unidade do Iasep, na Gentil Bittencourt.

Com a colaboração de Deliane Lima