Grupamento Aéreo de Segurança do Pará (Graesp) realiza treinamento para pilotos de voo

Qualificação reúne pilotos experientes e novos no Graesp sobre procedimentos normais, técnicos e emergenciais com a Aeronave Caravan B 208

05/03/2021 16h14 - Atualizada em 05/03/2021 17h03
Por Walena Lopes (SEGUP)

Pilotos do Grupamento Aéreo do Pará em qualificação técnicaRespeitando as normas sanitárias contra a Covid-19, o Grupamento Aéreo de Segurança do Estado (Graesp), vinculado à Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup), realizou um treinamento - teórico (Ground) da Aeronave Caravan B 208. Treze pilotos do grupamento participaram da formação que aconteceu no auditório do Graesp.

No curso os pilotos puderam aperfeiçoar os conhecimentos, principalmente quanto aos  termos de procedimentos normais, técnicos e emergenciais. Além disso, eles foram orientados para melhor desempenhar sua atuação, no quesito análise de pouso, decolagem, tipos de pistas, peso e balanceamento antes de iniciar cada voo. As aulas iniciaram no dia 1º de março e terminam na tarde desta sexta-feira (05).

“Esse treinamento irá manter nossos pilotos com qualificação técnica e também nivela os pilotos que estão chegando agora para compor o grupamento. O resultado disso é o aumento do nível de segurança dos nossos voos”, pontuou o diretor do Graesp, coronel Armando Gonçalves.

"O Graesp vem adquirindo aeronaves diferentes e nós precisamos ter qualificações para cada aeronave para que as missões possam ser cumpridas de forma segura e célere. Então precisamos dessa qualificação para saber as especificidades da máquina e como ela se comporta em cada situação”, afirmou o major  o major Wellington Macedo, há pouco mais de oito meses atuando no Graesp.

O treinamento teórico (Ground) da Aeronave Caravan B 208 foi ministrado pelo instrutor, Nilceu Gomes, que veio de São Paulo para a preparação dos pilotos paraenses. O curso reúne uma turma com 13 alunos. As aulas aconteceam das 8h às 17h, até esta sexta-feira (5). 

O curso é uma exigência da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que exige o treinamento de pilotos de dois em dois anos.