Educação é destaque no perfil de atletas dos Jogos Abertos

28/06/2015 13h57

O perfil dos atletas que participam dos Jogos Abertos do Pará é destaque em estudo realizado pela coordenação do evento em 2015. Em nove edições realizadas observou-se a evolução educacional dos participantes. A maioria tem Ensino Médio completo ou já está cursando o nível superior. A idade média dos atletas está entre 20 e 25 anos e 70% deles são homens.

O estudo foi realizado pelo professor Ewerton Souza, que está coordenando a competição este ano. “Esse dado da educação é muito interessante por que você observa a seriedade dos atletas em querer realmente mudar o seu perfil socioeconômico ou da sua família”, afirma o professor.

Outro dado interessante diz respeito à realidade desses atletas. A maioria, sobretudo da fase regional do Baixo Amazonas, mora em zonas rurais. “Então você mensura as dificuldades geográficas que eles enfrentam, e mesmo assim chegam até os locais de competição”, destaca o professor Ewerton Souza.

Para se ter uma ideia da dimensão territorial entre o município polo e os participantes utilizamos o exemplo de Porto de Moz. A delegação levou 36 horas de viagem de barco até Santarém. “Foi um dia e meio de viagem, mas vale a pena porque é uma oportunidade única para os nossos jovens. Estamos muito felizes em estar aqui em Santarém”, ressalta o professor Clodoaldo Souza Botelho, 47 anos, técnico e chefe da delegação que reúne 48 atletas. “Nós viemos para brigar por uma vaga na competição. Queremos ir pra final em Belém”, completa. A delegação de Porto de Moz vai competir nas modalidades de handebol e futsal masculino e feminino.

A delegação de Óbidos também ressalta o interesse em participar dos Jogos. A delegação levou mais de dez horas para chegar à sede. “O jovem precisa de oportunidades. A prática esportiva é uma ferramenta fundamental para dar a eles essa chance, em função da disciplina, do respeito e da qualidade de vida que estão atrelados ao conjunto de ações. Eu acredito que os Jogos Abertos são a oportunidade que muitos esperam para alcançar a mudança e levar consigo a experiência para toda a vida”, disse o professor José Augusto Viana Ribeiro, chefe da delegação de Óbidos.

A participação dos municípios nos Jogos Abertos do Pará (Joapa) é assegurada pela Secretaria de Estado de Esporte e Lazer, que disponibiliza um período para adesão. Este ano, a titular da Seel, Renilce Nicodemos criou a o “Troféu Responsa” como forma de incentivar a participação dos municípios. “O governo tem se preocupado em formular políticas públicas para o crescimento do esporte. E os Jogos Abertos, juntamente com outras ações, representam esse interesse, essa vontade. Agora se faz necessário um envolvimento maior dos gestores municipais. A ideia do troféu é atrair esse gestor público e mostrar para ele o quanto é importante a participação dos atletas do se município na competição”, destaca a secretária, que esteve em Santarém participando da abertura dos jogos.

Futuro - Os Jogos Abertos têm uma concepção diferenciada. Segundo o professor Ewerton Souza os participantes não têm obrigatoriamente de estar numa faixa etária determinada. “O limite de idade é aberto, agora é importante dizer que a competição tem um caráter educativo, de agregação de valores, além de servir de plataforma para discussões sobre aplicações de regras esportivas mais próximas das modalidades olímpicas”, explica o coordenador.

Na prática, os Jogos Abertos têm poder maior de atração entre os jovens que já concluíram o Ensino Médio e estão cursando a ensino superior. Desta forma, a Secretaria de Esporte e Lazer vai estudar propostas de ampliação das modalidades esportivas com provas de atletismo e de vôlei de praia. “Essas modalidades têm apelo de público e nós pretendemos estudar como inseri-las no calendário de 2016”, diz o professor Ewerton.

Números – Para quem gosta de números os Jogos Abertos têm bons exemplos. Ano passado foram mais de três mil atletas de 58 municípios. A participação em cada fase varia de 700 a 800 pessoas, o que exige uma logística muito bem pensada para dar conta do trabalho.

A etapa de Santarém envolve a participação de mais de 700 pessoas. Os locais de hospedagem são as escolas públicas, mas há transporte, segurança, alimentação e equipes de saúde acompanhando de perto as delegações.

Para a secretária Renilce Nicodemos, a harmonia e a possibilidade de abrir novos caminhos na vida das pessoas, por meio do esporte, são sinais de que a ação de governo é positiva. Em seu discurso na abertura da etapa do Baixo Amazonas, ela agradeceu a equipe técnica da Seel, a prefeitura de Santarém e a secretária de Esportes do município, Maria José Maia, pelo apoio.

Por Redação - Agência PA (SECOM)