Operação Netuno II apreende 300 metros cúbicos de madeira ilegal em Igarapé-Miri

A ação policial visa combater a criminalidade contra comerciantes, ribeirinhos e trabalhadores da região

23/01/2021 16h37 - Atualizada em 23/01/2021 19h46
Por Aline Saavedra (SEGUP)

O carregamento de madeira ilegal apreendido por agentes de segurança na Região do TocantinsCom a atividade econômica atrelada diretamente à produção de açaí, o município de Igarapé-Miri, na Região de Integração Tocantins, se torna alvo de criminosos, que roubam comerciantes locais, levando a renda da venda do produto, além de cometerem outros tipos de violência, e acabam usando a malha viária da região para fugir. Diante desse quadro, a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) deflagrou na sexta-feira (22) a Operação Netuno II no município, intensificando ações nos rios e furos, e ainda no entorno da PA-151. Um dos resultados foi a apreensão de madeira ilegal.

Mais de 40 agentes, entre policiais civis e militares, e servidores da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) participam da ação, que envolve ainda seis embarcações, sendo uma blindada.A Operação Netuno II mobiliza dezenas de agentes de segurança e servidores da Semas

O trabalho integrado inclui as unidades especializadas, como o Batalhão de Ações com Cães (Bac), Grupamento Aéreo e Fluvial de Segurança Pública, Companhia Independente de Polícia Fluvial (CIPFlu), Delegacia de Polícia Fluvial (DPFlu) e o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). A Operação prossegue nos próximos dias, com base na Vila Maiuatá. Qualquer pessoa pode contribuir para o trabalho dos agentes fazendo denúncia pelo o WhatsApp 91 98115-9181 ou ligando para o 181. Ambos garantem o sigilo e o anonimato.  

No primeiro dia da Operação Netuno II foram apreendidos 380 metros cúbicos de madeira ilegal, sem nenhuma documentação. Durante a averiguação das informações relatadas à polícia, de que uma pessoa estaria portando arma de fogo e cometendo crimes na localidade, os agentes chegaram ao local e, na abordagem policial, o suspeito disparou contra a guarnição e acabou atingido. Levado ao hospital, ele não resistiu ao ferimento.

O homem tinha passagens pela polícia pelos crimes de tráfico de drogas e roubo. Na residência onde ele morava foi encontrada uma pistola 09 milímetros e nove munições, além de drogas, uma balança de precisão, diversos telefones celulares e relógios. Um segundo suspeito fugiu por uma área de mata. As buscas continuam no local. 

Reforço - Durante a Operação haverá patrulhamento fluvial, abordagens a embarcações de passageiros e cargas, e cumprimento aos mandados de prisão expedidos pela Justiça. Todas as unidades da Polícia Civil presentes na 4ª Região Integrada de Segurança Pública (Risp) foram reforçadas para melhor atender às ocorrências decorrentes da Operação Netuno.A Companhia Independente de Polícia Fluvial e a Delegacia de Polícia Fluvial também participam da Operação Netuno

Segundo o diretor do Gflu e coordenador da “Netuno”, Arthur Braga, a Operação visa devolver paz e tranquilidade aos moradores e às pessoas que trabalham na região. “Os dois municípios de Abaetetuba e Igarapé-Miri respondem pelo maior índice de criminalidade fluvial, roubo à embarcação e residência ribeirinha, assim como rota de crimes ambientais, como transporte ilegal de madeira. Igarapé-Miri, no ano de 2020, foi a cidade que mais registrou roubos a embarcações e residências ribeirinhas. Esse foi o principal motivo que levou à deflagração dessa operação na localidade. Somente no primeiro dia um criminosos acusado de cometer assaltos a embarcações, inclusive apontado como responsável pela morte de um policial, foi encontrado e durante intervenção veio a óbito. Tivemos também essa grande apreensão de madeira”, complementou Arthur Braga.